FutureLab Mercedes-Benz Desafios do transporte e logística

O construtor alemão promoveu um simpósio onde foram analisados alguns factores de mudança e as perspectivas de futuro nos sectores do transporte e da logística, no intuito de fornecer as melhores soluções para os seus clientes.

O evento decorreu nas instalações da Mercedes-Benz em Wörth, na Alemanha, local onde são produzidos os camiões Mercedes-Benz Actros, Axor, Atego, Antos, Econic, Unimog e Zetros.

Realizaram-se workshops sobre temas prementes para o sector do transporte e da logística, como a digitalização, soluções alternativas ao diesel, design focado no condutor, as novas legislações, prevenção activa de acidentes, automação e eficiência de combustível. As novas tecnologias e a transformação digital dão origem a novos negócios num curto espaço de tempo. Um dos grandes desafios neste sector é o volume crescente de mercadorias acompanhado pela maior pressão em termos de tempo de e custo. Até as redes rodoviárias estão a atingir o limite da sua capacidade. Existem ainda os rigorosos limites em termos de emissões poluentes que também representam um desafio para os construtores. Através do "RoadEfficiency 2030", a Mercedes-Benz Trucks está focada numa estratégia que permita desenvolver camiões com elevados níveis de segurança, baixos custos de manutenção e que ofereçam máxima disponibilidade. Como o condutor tem um papel fundamental, a Mercedes-Benz propõe cabinas com ergonomia optimizada, numa utilização intuitiva e no máximo conforto.

Em 2014, o construtor alemão apresentou o Future Truck 2025 que pode funcionar de modo autónomo, demonstra como conectividade pode apoiar o transporte através de um veículo avançado tecnologicamente e com uma gestão mais eficiente. A viabilidade técnica e as assinaláveis vantagens da utilização conectados no sistema de “Truck Platooning”, ficaram demostradas em testes de estrada.

A questão do combustível

Os construtores de veículos e os políticos conseguiram estabelecer uma meta ambiciosa: reduzir a dependência do petróleo até 2030. A Mercedes-Benz continua a optimizar a cadeia cinemática diesel convencional - como tem feito há décadas. Ao mesmo tempo, os objectivos de redução acordados a longo prazo só podem ser alcançados através do desenvolvimento de combustíveis de baixas emissões de CO2 e CO2 zero e propulsões alternativas.

O combustível diesel é o mais eficiente, mas existem os problemas ambientais e as limitações em termos de emissões. No entanto, ainda vamos conviver com o diesel durante algum tempo. A curto e a médio prazo os camiões com motores de combustão vai continuar a ser os protagonistas do transporte de longa distância.

A electrificação é um dos caminhos possíveis. Com o veículo Urban eTruck revelado no IAA de 2016, a Mercedes-Benz Trucks tornou-se o primeiro fabricante no mundo com um camião pesado eléctrico. O próximo passo é o eActros, a Mercedes-Benz disponibilizará brevemente o seu primeiro camião totalmente eléctrico para a distribuição pesada para testes reais com alguns clientes.

Com o Econic NGT (Tecnologia de Gás Natural) disponível desde 2014, a Mercedes-Benz Trucks oferece um veículo com um motor que funciona com gás natural comprimido (GNC) na sua gama de produtos.

O construtor alemão está empenhado em encontrar soluções ambientalmente compatíveis e em oferecer um alto nível de desempenho, o hidrogénio enquadra-se neste perfil, como fonte de energia é fácil de transportar e permite rápido reabastecimento. A Mercedes-Benz está a acompanhar as opções que esta tecnologia oferece para transporte de mercadorias. Além disso, está empenhada na expansão da rede de estação de abastecimento de hidrogénio por toda a Alemanha.

Imposições legislativas

Os limites impostos pelas normas Euro, tornaram-se cada vez mais rigorosas, colocando grandes desafios tecnológicos aos construtores desde a introdução do Euro I em Outubro de 1993 e Euro VI em 31 de Dezembro de 2013, foi necessário introduzir tecnologias avançadas para cumprir os limites.

No FutureLab foi abordada a importância de medir correctamente os consumos dos veículos, para tal a Comissão Europeia decidiu desenvolver o programa VECTO para no futuro permitir a melhor comparação do consumo real de combustível e emissões de CO2. VECTO significa "Ferramenta de Cálculo do Consumo de Energia do Veículo" e foi desenvolvido pela Comissão em conjunto com os fabricantes de camiões que passarão a utilizar este programa a partir de 2019. Esta medida aumentará a transparência para os clientes e reforça o compromisso das marcas para cumprir os objectivos do Acordo de Paris sobre as alterações climáticas.

Condução autónoma e segurança

Factores como a condução autónoma, conectividade, regulamentos ambientais e mobilidade eléctrica terão um impacto crescente no interior e exterior dos camiões.

Todas as etapas de desenvolvimento estão centradas em torno do motorista e os designers projectam um local de trabalho completo. O motorista passa muitas horas ao volante, seja durante a condução como também nas pausas obrigatórias para descanso, muitas vezes no interior do veículo.

A marca trabalha no desenvolvimento de novas cabinas onde o profissional receba sempre com precisão as informações que realmente necessita num determinado momento, sejam acústicas, visuais ou tácteis, evitando possíveis distracções.

Na próxima geração de camiões da Mercedes-Benz, os sistemas de segurança e assistência terão ainda mais funções e mais abrangentes. No futuro, todos os elementos de infotainment e entretenimento serão projectados para serem operados com um tablet ou smartphone usando uma lógica com a qual o motorista já está familiarizado.

A condução autónoma já não é uma visão futurista, está a tornar-se uma realidade. Os fabricantes anunciam o seu compromisso com o desenvolvimento e o lançamento deste tipo de veículos.

A condução autónoma não só aumenta a eficiência e a segurança, mas também facilita o trabalho do motorista em situações de condução monótonas ou particularmente desgastantes. A Mercedes-Benz Trucks quer continuar a investir e a ampliar sua posição de liderança nesta área nos próximos anos. Existem 5 níveis diferentes de automação de condução: nível 1 assistência ao condutor; nível 2 automação parcial; nível 3 automação condicional; nível 4 condução autónoma; nível 5 automação completa.

A Mercedes-Benz Trucks tem-se dedicado ao desenvolvimento de sistemas destinados a tornar a "visão de uma condução sem acidentes” uma realidade. Através de sistemas de assistência já melhoram significativamente a segurança rodoviária, como por exemplo, o sistema de travagem de emergência Active Brake Assist 4, com detecção de peões, e o assistente de mudança de direcção Sideguard Assist, que adverte quanto à presença de peões, ciclistas e obstáculos em situações de mudança de direcção.

Ambos os sistemas podem salvar vidas e demonstram que a Mercedes-Benz Trucks disponibiliza sistemas de segurança activos e inteligentes para o mercado do transporte e da logística.

OUTROS ARTIGOS Ver mais