STCP reforça mobilidade a gás natural com a aquisição de seis viaturas

Com a aquisição de seis viaturas ligeiras movidas a Gás Natural Comprimido (GNC), que se juntam à sua frota de pesados de passageiros maioritariamente movida por este combustível menos poluente, a STCP aprofunda o seu compromisso com uma mobilidade urbana mais verde e económica.

A afetação destas viaturas a serviços operacionais essencialmente policêntricos no Grande Porto revela que a mobilidade a gás natural não é só economicamente viável no transporte pesado de passageiros e de mercadorias, mas constitui igualmente uma resposta assertiva, em termos ambientais e financeiros, no segmento de ligeiros. Com efeito, o Gás Natural Veicular contribui de forma expressiva para a redução de emissões, ao mesmo tempo que permite um custo €/km cerca de 40% inferior ao combustível tradicionalmente usado para este tipo de veículos.

Em detalhe, as mudanças na frota em favor do Gás Natural Veicular, resultaram num decréscimo de 1467 e de 960 toneladas de emissões de CO2, respetivamente para a substituição de 173 veículos entre 2018 e 2020, e de 81 veículos em 2021, respetivamente.

“A GASNAM saúda o reforço do compromisso da STCP com o Gás Natural como a opção mais adequada para uma mobilidade mais limpa e mais barata, melhor para a qualidade do ambiente e capaz de gerar poupanças importantes. A opção pela aquisição de viaturas ligeiras também movidas a Gás Natural motiva, por isso, a nossa satisfação, enquanto promotores deste combustível face a alternativas mais poluentes e onerosas”, refere Vítor Cardial, delegado em Portugal da GASNAM – Associação Ibérica do Gás Natural, Renovável e do Hidrogénio na Mobilidade.

Desde a década de 90 que a STCP tem vindo a investir na tecnologia de Gás Natural Veicular Comprimido, possuindo hoje um ativo de grande valor: a maior estação de L-CNG (armazenagem de Gás Natural Liquefeito e Gaseificação) da Europa em termos de capacidade. Com uma frota de aproximadamente 3 centenas e meia de autocarros movidos a GNC, num parque total de cerca de 420 onde a tecnologia elétrica também marca presença, os autocarros movidos a Gás Natural percorreram em 2020 cerca de 17 milhões de km nos seis concelhos servidos pela STCP e têm vindo a contribuir para a descarbonização da mobilidade coletiva dos residentes no Grande Porto e das dezenas de milhares de pessoas que frequentam quotidianamente estas cidades em lazer, estudo ou trabalho.

De acordo com Ângelo Oliveira, administrador da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto, esta decisão materializa mais um passo desta empresa pública com a causa da transição energética, reforçando o compromisso dos STCP com as metas nacionais e europeias em matéria de descarbonização e da melhoria do meio ambiente.

Já João Filipe Jesus, diretor da área de negócio de mobilidade GNV do Grupo Dourogás, salientou que, muito embora o gás natural veicular estar essencialmente vocacionado para o setor profissional, o mesmo pode também constituir uma alternativa na mobilidade ligeira, com substanciais ganhos económicos e sem perda de operacionalidade, exemplificando que, atualmente, é possível fazer o percurso entre Lisboa e Porto, com menos de 15€ de combustível, com este tipo de tecnologia.

Veículos a gás natural Mobilidade