ONE cresce nos primeiros seis meses de operação em Portugal

Nos primeiros seis meses da operação que arrancou a 1 de abril de 2018, a OCEAN NETWORK EXPRESS (ONE) Portugal cresceu 30% face à operação da ex-K. Line no país, tendo transportado 30 mil TEUS, no valor de 18 milhões de euros. A empresa de transporte de contentores surge na sequência da fusão de três importantes armadores japoneses – KAWASAKI KISEN KAISHA (K. LINE), MITSUI O.S.K. LINES (MOL) e NIPPON YUSEN KABUSHIKI KAISHA (NYK). Trata-se de um crescimento do mercado português, sobretudo na rota Ásia-Europa.

Isabel Azeredo, country head da ONE Portugal, explica: “Das três companhias, só a K. Line tinha investimento direto japonês em Portugal; a MOL e a NYK eram representadas por agentes e tinham pouca expressão no mercado de transporte contentorizado no país. Como consequência da fusão, só o serviço Europa-África é novo, mas é ainda pouco representativo no nosso volume de negócios. Estamos, por isso, a falar de um crescimento efetivo e não proveniente de mercados ‘herdados’ resultantes da fusão. O aumento da competitividade dos nossos serviços permitiu-nos um crescimento na carteira de clientes”.

A ONE Portugal mantém os serviços anteriormente disponibilizados pela K. Line Portugal, bem como a aposta no mercado de short sea, mas reforça a operação para África e Estados Unidos da América. São cinco as rotas disponibilizadas: INTRA-Europa (incluindo Escandinávia), Europa-Ásia (incluindo Médio Oriente e Subcontinente Indiano), Europa-África, Europa-América do Norte e Europa-Oceânia.

ONE quer liderar transporte contentorizado refrigerado

Foi no dia 1 de abril do ano passado que a ONE iniciou a sua operação, após a fusão das três transportadoras japonesas. O principal objetivo foi, como salienta Isabel Azeredo, “potenciar o melhor das três companhias. Trata-se de uma estratégia ousada pois não deixam de ser três empresas a fundirem-se numa só, dando origem a uma outra com dimensão e competitividade necessárias para concorrer no mercado do transporte contentorizado através da criação de sinergias e de redução de custos”. A country head esclarece que “os custos de arranque, sob uma nova marca, um único sistema de informação e uma equipa única foram significativos”, mas realça que, em contrapartida, em Portugal, a empresa cresceu 30% face à atividade antes desenvolvida pela K. Line Portugal.

Uma das grandes apostas da ONE é liderar o segmento de transporte refrigerado, tendo para tal investido na aquisição de 14.000 contentores com refrigeração.

A multinacional nipónica espera ascender em breve ao quarto lugar do ranking de companhias internacionais de contentores. Quando receber a totalidade dos navios que encomendou, terá uma frota total de 240 embarcações com uma capacidade de 1,44 milhões de TEUS.

Com 32 colaboradores, a equipa da ONE Portugal cresceu para dar maior capacidade de resposta ao mercado. Até ao final do primeiro ano fiscal de atividade, Isabel Azeredo espera “estabilizar o serviço”. E acrescenta: “Apesar das dificuldades internacionalmente reconhecidas, decorrentes da introdução de novos sistemas de informação e adaptação aos mesmos, conseguimos em Portugal não só manter os clientes herdados da K. Line, como crescer, sobretudo em novos negócios. Acreditamos que manteremos o mesmo ritmo de crescimento nos próximos três meses”.

Cargas Transporte