Dachser aposta na digitalização de toda a logística química

A logística da informação tornou-se uma parte imprescindível do portefólio de serviços de qualquer operador logístico. As interfaces EDI (Electronic Data Interchange) vieram facilitar o registo de pedidos, as plataformas de rastreamento de envios permitiram criar um processo de entrega transparente e as ferramentas de gestão de eventos da cadeia de abastecimento possibilitaram o fornecimento de informações sobre atrasos e a procura imediata de alternativas. Todas estas mais-valias exigem, adicionalmente, o investimento em cibersegurança. A transformação digital a que assistimos, atualmente, nas empresas de logística está a ser impulsionada e ajustada, sem dúvida, pelas necessidades dos clientes.

No que concerne à logística de informações, a indústria química é um dos setores mais exigentes, já que se trata de uma área que necessita de um sistema que englobe todo o processo, desde o fornecedor até ao consumidor, passando pelas redes de produção e comercialização de produtos considerados perigosos. Para tal, a solução adotada terá que incluir todos os movimentos de mercadorias, estruturas de armazenagem e a logística de informações necessária para controlar essas redes. “Nesta equação, a logística de informações nunca é apenas uma questão de TI. Além de combinar digitalização com ativos físicos, a logística deve, também, ter em conta as pessoas que executam os serviços, seja nos terminais de trânsito, nos armazéns ou ao volante de um camião”, afirma Inmaculada Fernández, Business Development Iberia Dachser Chem Logistics. E acrescenta: “Uma intrínseca ligação entre digitalização e logística reflete-se numa forte estrutura de gestão por parte das empresas de logística e a Dachser é um exemplo nesse sentido”.

Digitalização acessível para todas as empresas

No que respeita à indústria química, as filiais da Dachser contam já com a implementação de inúmeras soluções digitais que melhoraram de forma significativa o manuseamento de produtos químicos e mercadorias perigosas. Estas soluções resultam do trabalho da equipa dedicada exclusivamente às Tecnologias de Informação (TI) e Desenvolvimento, responsável pelo desenvolvimento de novas abordagens e soluções para a indústria global.

“As empresas da indústria química encontram-se em patamares muito distintos quando se trata de digitalização – muitas já implementaram medidas estratégicas, enquanto outras estão apenas a começar”, explica Inmaculada Fernández. “No entanto, a implementação de uma estratégia de digitalização não tem que depender, necessariamente, do tamanho da empresa, uma vez que, atualmente, já não é necessária uma grande equipa de TI para o desenvolvimento de soluções digitais”, acrescenta a responsável. “Existem as plataformas low code / no code (LCNC), que podem fornecer, até mesmo às PMEs, a agilidade e a velocidade necessárias para a implementação das ferramentas indispensáveis para obter sucesso no reino da digitalização”, afirma a responsável pelo desenvolvimento da solução Dachser Chem Logistics na Península Ibérica.

Nos negócios, a tendência para usar plataformas LCNC é conhecida como “desenvolvimento cidadão”. De acordo com a empresa de consultoria e pesquisa de tecnologia Gartner, até 2024, aproximadamente 65 por cento das aplicações corporativas serão desenvolvidas desta forma. Também as plataformas LCNC são, agora, um dos muitos blocos de construção que moldam a transformação digital da Dachser. A empresa fornece aplicações LCNC centrais para partilhar as melhores práticas e assegura a monitorização e a orientação dos desenvolvimentos LCNC dentro da empresa. Uma das vantagens destas plataformas é que não requerem conhecimentos profundos de programação por parte dos utilizadores. Desta forma, os colaboradores podem criar aplicações digitais com base nas suas tarefas diárias. Além disso, as plataformas LCNC podem ser usadas para mapear processos de negócios mais complexos digitalmente. “Trata-se de um modelo que incentiva uma mentalidade digital entre todos os colaboradores, ao mesmo tempo que promove a criatividade digital e facilita a gestão do dia-a-dia de trabalho em toda a organização”, observa Inmaculada Fernández.

Plataformas para a gestão de documentos

Tornar os colaboradores “cidadãos desenvolvedores” é, realmente, uma nova tendência de mercado, nomeadamente no que se refere às plataformas para documentação digital. A Dachser recorre a estas plataformas para gerir uma miríade de documentos que chegam de todos os tipos de canais de entrada, ligando esses documentos a sistemas centrais, para que todos os documentos – físicos e digitais – enviados por e-mail, de um front-end digital ou via EDI, estejam disponíveis em toda a cadeia de abastecimento. No transporte multimodal de mercadorias perigosas, a declaração marítima é enviada por e-mail diretamente do remetente para um endereço técnico, onde é acoplada aos dados de embarque para que esteja acessível ao longo de toda a cadeia de abastecimento. Isto inclui um processo de verificação, do qual os remetentes beneficiam e que não os obriga a assinar o documento manualmente.

Futuro da digitalização passa pela blockchain

“O futuro da logística de produtos químicos e mercadorias perigosas passa pelo blockchain, tecnologia que fornece transparência na execução e documentação de transações”, conjetura a responsável pelo desenvolvimento de logística química da Dachser em Portugal e Espanha. Um dos exemplos da utilidade da blockchain está relacionado com as informações sobre mercadorias perigosas, a que todos os participantes da cadeia de abastecimento, dependendo de sua autorização, podem aceder e rastrear até à sua origem. “Em termos de regulamentos legais, ainda é relativamente cedo para a integração total da tecnologia de blockchain. Mas, não há dúvida de que esta tecnologia tem potencial para ser um grande trunfo na logística de mercadorias perigosas e para elevar o nível de automação”, acrescenta Inmaculada Fernández. No futuro, o desenvolvimento de soluções que integram o digital para otimizar a logística será cada vez mais benéfico, em particular para as PMEs da indústria química que contam com a Dachser como um parceiro seguro e digitalizado para atender às suas necessidades de logística em todo o mundo.

Digitalização do setor marca edição de 2021 da Expoquimia

A digitalização é um dos assuntos que marcam, atualmente, o debate em torno do desenvolvimento da indústria química e, neste sentido, será um dos temas a marcar a edição da 2021 da Expoquimia – The International Chemistry Event. A feira internacional do setor realiza-se em Barcelona, entre os próximos dias 14 e 17 de setembro, e contará com uma sessão de debates, intitulada "Smart Chemistry, Smart Future", em que o foco será, precisamente, a digitalização do setor químico.

Transporte Logística